Mexa-se para reduzir o risco de desenvolver doenças crónicas

8782

Para além dos já bem conhecidos benefícios de manutenção de peso e de ajudar a manter a força, equilíbrio e flexibilidade, o exercício regular pode também ajudar a reduzir a ocorrência de diversas doenças crónicas, como a diabetes, o cancro da mama e doenças cardíacas.

Um estudo descobriu que a atividade física regular estava associada a uma redução de 75 % do risco para o cancro da mama, 49% para doenças cardiovasculares e do coração, 35% para a diabetes e 22% para o cancro colo-rectal. [1]

Para as pessoas que já sofrem de uma doença crónica, também é importante a prática de exercício algumas vezes por semana, visto que a atividade física regular ajuda a gerir os sintomas e a melhorar a saúde em geral.

Leia em baixo como o exercício físico pode ajudar na prevenção e tratamento de algumas das doenças crónicas mais comuns.

Diabetes

A investigação mostrou que a atividade física regular, juntamente com outros hábitos de vida saudáveis (como manter uma dieta saudável) podem ajudar na prevenção ou tratamento da diabetes tipo 2. Como? O excesso de peso aumenta o risco de desenvolver diabetes tipo 2 – permanecer ativo ajuda a controlar o peso, reduzindo assim o risco. O exercício regular também pode ajudar a insulina a diminuir mais eficazmente os níveis de açúcar no sangue. Na verdade, a atividade física pode baixar a glicose no sangue até 24 horas ou mais depois de um treino, ao fazer com que o corpo fique mais sensível à insulina. [2]

Doenças Cardíacas

A maioria dos principais fatores de risco que levam a doenças cardíacas estão dentro do nosso controlo, e 80% dos ataques cardíacos prematuros (e AVC’s) são evitáveis. [3] O segredo é manter hábitos de alimentação saudáveis, não fumar, reduzir os níveis de stress e fazer exercício regular, o que ajuda a melhorar a saúde do curacao.

O impacto do exercício na prevenção e tratamento das doenças cardíacas não pode ser subestimado: os que permanecem inativos têm o dobro do risco de desenvolver doenças cardíacas (e AVC’s). [4] O exercício tem um efeito positivo em diversos fatores de risco das doenças cardiovasculares – por exemplo, ao promover a redução de peso, reduzir a pressão arterial, e baixar os níveis do colesterol “mau” e do colesterol total, ao aumentar os níveis do colesterol “bom”. Se você ou um ente querido já sofre de doença cardíaca, a atividade regular é um componente vital para garantir uma boa recuperação.

Cancro

O cancro é uma das principais causas de morte em todo o mundo, tendo somado 8,8 milhões de mortes em 2015. [5] Quando se trata de reduzir o risco de cancro, o exercício regular tem um papel ainda mais importante do que se pensava anteriormente.

Enquanto que estudos anteriores, que se debruçavam sobre a ligação entre a atividade física e o risco de cancro, anunciavam resultados inconclusivos para a maioria dos tipos de cancro – à exceção do cancro do colón, da mama e do endométrio – um novo estudo, publicado no JAMA Internal Medicine em Maio de 2016, descobriu que a atividade física também está associada a um menor risco para vários outros tipos de cancro, incluindo o cancro do fígado, do estômago e do rim, entre outros. [6]

Tal como acontece com outras doenças crónicas, uma das formas como o exercício pode ajudar a diminuir o risco de cancro é através da manutenção do peso. Além disso, a atividade física regular está também associada a níveis de estrogénio e insulina mais baixos, o que pode reduzir o risco de alguns tipos de cancro. Para aqueles que estão a fazer um tratamento de cancro, a investigação demonstrou que o exercício pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes, reduzindo o risco de quedas, melhorando o equilíbrio e ajudando a manter a força muscular.

Dicas de treino no Inverno

A motivação para fazer exercício físico pode geralmente diminuir à medida que o mercúrio desce. Aqui estão algumas ideias para ajudá-lo a mexer-se nos dias mais curtos e frios, quando é mais difícil resistir à tentação do sofá e da televisão.

  • Tire partido da estação: As atividades ao ar livre no inverno, como patinar, caminhar sobre a neve, esquiar e fazer snowboard são divertidas e mantêm-no quente enquanto se mexe.
  • Não pense só no ginásio: de que atividades de interior gosta? Bowling, natação, patinagem em espaços fechados, hóquei ou até mesmo caminhar no centro comercial podem ajudá-lo a permanecer ativo sem ter que enfrentar o frio.
  • Pequenos momentos de atividade: pode permanecer ativo no inverno fazendo pequenas atividades ao longo do dia – por exemplo, escolher as escadas em vez do elevador no trabalho (e/ou subir escadas durante a sua pausa), levar os seus filhos à escola a pé, estacionar o carro mais longe, ou sair do autocarro ou do metro uma paragem antes do destino, andando mais a pé em direção ao trabalho ou de volta para casa.

[1] “A atividade física na prevenção das doenças crónicas mais frequentes: uma análise de dados recentes”, US National Library of Medicine National Institutes of Health. Kruk, J. 2007.

[2] American Diabetes Association

[3] World Health Organization

[4] Heart & Stroke Foundation

[5] World Health Organization

[6] American Cancer Society

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.